Academiæ

"Me disseram que pensar era ingênuo, e daí? Nossa geração não quer pensar. Pois que pense, a que há de vir."

Arquivo para a categoria “Curiosidades”

Celebridades e outros famosos formados em Filosofia

Resolvi pesquisar e saber quantas celebridades, famosos e pessoas de destaque cursaram FILOSOFIA, e olha só quem (E QUANTOS) eu encontrei:
No Brasil:

O humorista cearense Bené Barbosa (Papudim)
A atriz Cláudia Abreu se formou em Filosofia em 2008
Marcos Mion se formou em Filosofia em nada mais nada menos que na USP!

Lá fora, a lista é grande!

01) Wes Anderson, diretor e cineasta Rushmore, The Tennenbaums Real.
02) Kristin M. Baker, primeira mulher comandante da brigada, em West Point.
03) William John Bennett, ex-secretário de Educação, chefe da Guerra às Drogas.
04) Bernardin. Saudoso Cardeal de Chicago.
05) Stephen Breyer, Juíza Adjunta do Supremo Tribunal.
06) Patrick Joseph Buchanan, político.
07) Pearl Buck, escritora, ativista, vencedora do Prêmio Pulitzer (1932) e Prêmio Nobel de Literatura (1937), para crianças Amer-asiático.
08) Stokely Carmichael / Kwame Ture, Civil líder Direitos.
09) Mary Higgins Clark, escritora.
10) Ethan Coen, o cineasta.
11) Angela Davis, – ativista social e filósofo político
12) Arthur P. Davis, Africano escritor norte-americano e educador.
13) Jules Debray, escritor e funcionário do governo, França.
14) Umberto Eco, escritor, semiólogo.
15) Mircea Eliade, Estudos Religiosos .
16) Carly Fiorina, CEO da Hewlett Packard.
17) Ken Follett, autor.
18) Michael Frayn, dramaturgo (Copenhagen) e romancista
19) Northrup Frye, Inglês estudioso e crítico literário
20) Martin Gardner, autor, ensaísta.
21) Philip Glass, compositor.
22) Rudi Giuliani, ex-prefeito de Nova York, Consultor de Segurança Urbana.
23) Rebecca Goldstein, romancista e ganhador do Prêmio MacArthur.
24) Carol Heckman, primeira mulher juiz dos EUA no Distrito ocidental.
25) Christy Haubegger, Editor de LATINA, Entrepreneur.
26) Gertrude Himmelfarb, Historiador.
27) Carl C. Icahn, atacante de empresas e proprietário da TWA.
28) Phil Jackson, treinador da NBA, ex-Chicago Bulls, agora do LA Lakers.
29) Thomas Jefferson, presidente dos EUA.
30) Charles Johnson, escritor americano Africano.
31) Aung San Suu Kyi, activista dos Direitos Humanos, Prêmio Nobel da Paz.
32) Bruce Lee, especialista em artes marciais e ator.
33) Claude Lanzmann, cineasta.
34) Michael Lerner, o rabino, Editor / Editora Revista Tikkun.
35) Ira Levin, autor.
36) Terence Malick, cineasta.
37) Robert Motherwell, pintor.
38) Iris Murdoch, romancista.
39) Lachlan Murdoch, filho de Rupert Murdoch, magnata da mídia. Nova gerente de mídia.
40) Robert Musil. Romancista austríaco.
41) Robert McNamara, ex-secretário de Defesa e Chefe do Banco Mundial.
42) Deepa Mehta, diretor indo-canadense.
43) Bob Moses, ativista dos direitos civis, Fundador do Projeto Álgebra.
44) Michael Murphy, co-fundador do Instituto Esalen.
45) Barnett Newman, do artista (pintor).
46) Marsha Norman, dramaturgo e vencedor do Prêmio Pulitzer
47) Madelyn Murray O’Hair, famoso crítico.
48) Freeman Patterson, Fotógrafo, autor de A Arte de Ver .
49) O Papa João Paulo II.
50) Stone Phillips, empresa de radiodifusão.
51) Chaim Potok, romancista.
52) Steve Reich, compositor.
53) Richard Riordan, político – Ex republicano prefeito de Los Angeles.
54) Patricia Rozema, escritor, diretor e cineasta (eu ouvi o canto das sereias e Mansfield Park).
55) Meyer Schapiro, crítico de arte.
56) Albert Shanker, ex-chefe do Sindicato dos Professores de Nova York.
57) Fiona Shaw, atriz.
58) Wallace Shawn, dramaturgo e ator.
59) John Silver, ex-presidente da Universidade de Boston e candidato a governador de Massachusetts
60) Gene Siskel, crítico de cinema
61) Jeff Smith, apresentadora de TV, o Frugal Gourmet.
62) Susan Sontag, escritora.
63) George Soros, gerente Financeiro e dinheiro
64) David Souter, juiz da Suprema Corte.
65) Michael P. Spense, Economista e Prêmio Nobel da Economia 2001
66) Steve Thomas, o Host para programa de TV, esta antiga casa.
67) Alex Trebek, Host para programa de TV, Jeopardy.
68) David Foster Wallace, escritor.
69) Juan Williams, apresentador NPR “Talk of the Nation”, wrier, jornalista (Washington Post).
70) C. Vann Woodward, Historiador.
71) Rodney Yee, professor de yoga.
72) Dr. Stephen Younger, Diretor do Departamento de Redução de EUA de Defesa Ameaça Agência, que foi criado em resposta a 9/11.
73) Moisés Znaimer, produtor canadense de mídia, Executivo, Proprietário da TV CIDADE, música, entre outras coias. (Toronto, Canadá)
74) Patricia Aburdene, jornalista de negócios, palestrante internacional e autor best-seller. Com John Naisbitt, ela co-autora do best seller número um Megatrends 2000, NYT melhor lista vendedores por dois ano.

Anúncios

Eu tenho medo de Górki & outros contos – Ângela Calou

Esse livro é esplêndido, sobre todos os sentidos, tanto no conteúdo quanto na fineza de seu acabamento.

 

  • Editora: LCR
  • Autor: ÂNGELA CALOU
  • ISBN: 9788579150562
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2011
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 98
  • Acabamento: Brochura
  • Formato: Bolso
  • Código de Barras: 9788579150562

SINOPSE: Ângela Calou já encontrou seu estilo, neste livro de estreia. Aqui, lemos sobre descobertas e assombros, com protagonistas perseguidos por pesadelos ou intuições. Em muitas histórias, há uma atmosfera fantasmática. É o caso de “Alameda do Castelo nº 1824”, “Eu tenho medo de Górki”, “A Fuga”. Em outros textos, abre-se espaço para “aquela náusea alegre que se quis chamar amor”: são narrativasmais voltadas para prosas e poéticos encontros, sempre ligados a algum tipo de metamorfose, sutil, visceral e devastadora.

É um desafio prazeroso se aventurar a ler “Eu tenho medo de Górki & outros contos” de Ângela Calou. Desafio sim, pois sua linguagem é afiadíssima, seus contos transbordam de uma profundidade existencial que afoga seu leitor entre suas páginas, cada conto é de uma originalidade assustadora e envolvente que obriga o leitor a continuar seu percurso sendo alvo de ferroada de reflexão, impossível terminar um conto sem pensar ou intuir algo sobre ele, e aí vem o prazer, esse jogo de provocações causa ao mesmo tempo a ansiedade de continuar a leitura de imediato a qualquer conclusão que o leitor chegue. Comumente se acha que algo original é aquilo que não trás traços ou vestígios alheios, bem eu vou mais além, conceituo que original também é aquilo que não se pode copiar. Bem, Ângela Calou é isso, ORIGINAL! São 98 páginas de uma visão do mundo conceitualizada por uma mente brilhante, personagens que se recusam a abandonar a mente do leitor ao final de cada conto. Dou especial atenção para a Met(amor)fose e conto que dá nome ao livro, mas afinal de contas, eu agora também tenho medo de Górki.

Obra e autora.

O livro contem 23 contos:
Antonie voltou a pé
A teia e a aranha, mosca distraída fui
Joana em dia de seu avesso
Claus foi embora
Naquele tempo, naquele lugar
Sobre a medida de desordem de um sistema ter(a)mo(r)dinâmico
Met(amor)fose
Eu tenho medo de Górki
Capricho 43
Quase uma fantasia
Há coisas que devem morrer
Do oco no meio das falas e coisas
O que nunca se soube sobre o velho do saco
Da anatomia de um engano
A fuga
Onde o pedaço de branco-e-preto?
Da maternidade
Sobreaviso para Alice em seu país
Feliz data
Marca d’água
Alameda do Castelo nº 1824
Leve-me! – foi o que lhi pedi

Vou deixar aqui alguns “petisco” do livro para que vocês possam “degustar” essa magnífica obra.

Estou ansioso pelo próximo "filho" dessa escritora.

“A morte era um rato metafórico, roedor espectral que rondava agora a minha carne, pois é sabido que, aquele escapa a uma emboscada, segue tentando a reproduzi-la na condição invertida de arguto algoz.” pág. 20

“Aprendi com Carlile a dar quase nada de mim às pessoas, a enfear meus olhos ao olhá-las, pois tudo que me diziam era engano areento que o vento levava, como a areia que fica nos pés quando se caminha na praia.” pág. 25

“Na segunda primavera sem flores, ela apostava corrida com os passarinhos, alimentava um gato invisível e, simpática que era, já possuía a conta de três amigos imaginários.” pág. 28

“(…) arriscarei um pensamento. E pensar que nunca pensei em pensar!” pág. 46

“Tens o tempo pendurado em teu braço direito, uma vez que o esquerdo, próximo do teu coração, jamais suportaria o peso melancólico dos ponteiros de Saturno, que na ausência de chiclete de menta, masca os filhos para variar o gosto na boca.” pág. 63
Minha homenagem a tão extraordinária escritora.

.

Parabéns Ângela Calou pela obra, está incrível. Continue assim minha cara, não pare jamais.

OBS: Gorki, seria na verdade Máximo Gorki (Максим Горький), pseudônimo de Aleksei Maksimovich Peshkov (em russo, Алексей Максимович Пешков) (Nijni Nóvgorod,28 de março de 1868Moscovo, 18 de junho de 1936), foi um famoso escritor, romancista, dramaturgo, contista e ativista político russo. Gorki foi escritor de escola naturalista que formou uma espécie de ponte entre as gerações de Tchekhov e Tolstoi, e a nova geração de escritores soviéticos.

"O mundo está para a alma como o banho de vapor para o corpo. É muito saudável..." - Máximo Górki.

Unbreakable – Corpo Fechado

Muito bom, surpreendente feito de M. Night Shyamalan.

Dizem que quem avisa amigo é, então se você já começou a ler esse post sem antes ter assistido o filme pare e vá até a locadora mais próxima (ou faça o download dele se sua net for boa ^^) e depois volte e diga o que achou.

A proposta foi interessante: filmar uma história em quadrinhos, com seus respectivos personagens fantásticos, como um drama realista (conflitos domésticos). A idéia era criar um contraste violento – mas nada óbvio, já que isso só é percebido lentamente, entre a narrativa tradicional de uma HQ, com muita ação e ritmo alucinante, e o que efetivamente está na tela, um lento e sombrio deslocamento dos personagens rumo à sua verdade existencial reveladora. Verdade que, engenhosamente, também só será descoberta pelo espectador no fim. E estou até agora revendo o filme em meus pensamentos. Puxa! Finalmente fizeram um filme que trata os quadrinhos com o respeito que nós amantes dos bons e velhos gibis podemos assistir sem medo (já era tempo né?!) Atente para todos os detalhes do filme: música, informações, atuação, desenrolar. Do começo ao fim, o filme é perfeito, destaque para a primeira “missão” do Sentinela.

Sinopse:

atuação brilhante desse dois, melhor que em Duro de Matar 2

David Dunn, é o único sobrevivente de um terrível acidente de trem, dias depois de seu acidente ele é procurado pelo estranho Elijah Price, que tenta convencê-lo que ele é como atributos e capacidades além de um homem comum.

Enredo (Primeira Parte):

Elijah Price (interpretado por Samuel L. Jackson) nasce com o tipo 1 da Osteogênese Imperfeita, popularmente conhecida como Osso de Vidro uma doença rara na qual os ossos se quebram facilmente. Durante suas muitas estadias no hospital onde seu único passatempo era ler histórias em quadrinhos, Price teoriza, que se ele é frágil, deve existir alguém que é o seu oposto, alguém “inquebrável”.

Anos mais tarde, o guarda de segurança, David Dunn (atuação de Bruce Willis), também está procurando significado na sua vida. Há muitos anos, ele desistiu de uma promissora carreira de futebol americano para se casar com seu grande amor, Audrey (Robin Wright Penn), depois que se envolveram em um acidente de carro. No entanto seu casamento esta se dissolvendo, para a angústia de seu jovem filho, Joseph (Spencer Treat Clark). Retornando de uma entrevista de emprego em Nova York, David e o único sobrevivente de um terrível acidente de trem que mata 131 pessoas, é um detalhe: David não sofre nem um arranhão. David é contactado pelo já adulto, Elijah, que apresenta a teoria de que David pode ser um tipo de super-herói igual aos das revistas em quadrinhos.

Um heroi possível. Melhor que Kick-Ass.

SOBE AS MINHAS LENTES:

Em Unbreakable (Corpo Fechado é o titulo de lançamento no Brasil, convenhamos que mais uma vez os tradutores fizeram um serviço porco com essa tradução) o diretor e roteirista M. Night Shyamalan, fez um trabalho incrível, a figura do herói e do vilão aqui foram tão bem elaboradas que nos leva pensar “O que é ser um herói?”, o personagem de Bruce Willis é muito forte, mas não veremos ele empilhando carros ou fazendo malabarismo com caminhões. Continuando a análise – dos visuais exuberantes e enredos ridículos; é notório que o mercado de HQs sofreu um declínio pesado. De certa forma, essa crise nada mais é do que um sintoma; um sinal de doença em uma sociedade onde a criatividade e a imaginação, quando não vem mastigada e pronta, é posta de lado. O filme tem como tema principal um dos aspectos da chamada mitologia dos super-heróis dos quadrinhos ou seja, a de que todo herói deve possuir um arqui-inimigo, que geralmente se torna um super-vilão em função das ações de seu futuro antagonista. O Lex Luthor original se torna um vilão depois de um acidente com o Super-Homem; os inimigos insanos do Batman assumiriam suas fantasias e personalidades malignas inspirados pelo surgimento do herói e assim por diante.

Elementar meu caro…

Qual deles você acha mais "fotogênico" com o Sherlock dos livros?

Quem nunca ouviu essa frase? Quem não conhece o  mais famoso detective da literatura? O cara que fuma cachimbo, toca violino quando está solitário em seu apartamento na 221B Baker Street ? 47.700.000, esse é o resultado aproximado de uma busca no Google se você digita Sherlock Holmes.

O personagem que atingiu tamanho reconhecimento que acabou por “engolir” seu criador, quando se fala de Conan Doyle e Sherlock Holmes quase sempre se ouve falar em Sherlock Holmes como “O Personagem criado por Conan Doyle” e não se ouve falar em Conan Doyle como “O Homem que criou Sherlock Holmes”.

Sherlocke Holmes é uma das séries mais publicadas da história.

Sherlock Holmes é um personagem de ficção da literatura britânica criado pelo médico e escritor Sir Arthur Conan Doyle. Sherlock é um investigador do final do século XIX e início do século XX que aparece pela primeira vez no romance A Study in Scarlet (Um estudo em Vermelho) editado e publicado originalmente pela revista Beeton’s Christmas Annual, em Novembro de 1887. Investigador ficou famoso por utilizar, na resolução dos seus mistérios, o método científico e a lógica dedutiva. O que por incrível que parece era muitas vezes subestimado pela policia londrina e alguns personagem chegaram a se perguntar se Sherlock era menos um ser humano!

Podemos dizer que esses são os casos de terror dentro da série de Conan Doyle.

A série investigativA de Conan Doyle saiu dos livros e se materializou. Não precisa viver na Inglaterra para conhecer o lar de Sherlock Holmes, o 221B Baker Street é um dos endereços mais famosos de Londres e abriga hoje um museu com o nome do personagem, as histórias do detective se passam entre vários cartões postais da capital inglesa. Muito embora o personagem tenha longas estadias em outro lugares, um dos locais mais visitados por Sherlock Holmes, entre um caso e outro, é a Charing Cross Station, quando a investigação era em Londres, Holmes não deixava de passar pela Fleet Street, pela Oxford Street, pela Strand, no Pall Mall, e na Tottenham Court Road, endereços recorrentes dos contos do personagem.

A clássica imagem do detective usando boné inglês com um cachimbo na mão.

A série de aventuras do “Consultor ivestigativo” (como ele costumava se referir) conta com mais ou menos 60 romances de autoria de Arthur Conan Doyle, sendo eles, cerca de 56 contos, e 4 romances, onde Sherlock Holmes na companhia de seu fiel escudeiro e colega de quarto Dr. Watson, resolvia casos insolúveis até mesmo para a Scotland Yard. O personagem habita o imaginário de jovens e adultos desde que foi publicado há mais de 150 anos.

Entre 1911 a 1913, Doyle se cansou da fama do detetive,esse período é conhecido pelos sherlockianos como The Great Hiatus (O Grande Hiato).

Holmes costuma ser uma pessoa arrogante, que está correta sobre inúmeros assuntos e com palpites certeiros e até assombrosos. Além do aspecto erudito e apreciador dos bons hábitos ingleses, não demonstra muitos traços de sentimentalismo, preferindo o lado racional de ser. É também um personagem orgulhoso, parece dominar vários assuntos sem o próprio autor descrever seus estudos. Holmes apresenta alguns hábitos peculiares como a prática de artes marciais, esgrima de armas brancas, bastão e bengala. Além disso, diz-se que é um exímio violinista.

Holmes, tem como personalidade forte não gostar que o interrompam em suas reflexões, gosta que o deixem pensar sem que o interrompam a toda hora. Não se vê Holmes estudando sobre tudo, mas domina misteriosamente e incrivelmente uma vasta quantidade de assuntos do conhecimento humano, tais como Política, Química, Geologia, Línguas, Anatomia, Literatura Sensacionalista, etc. Holmes demonstra, ao longo das suas investigações, uma capacidade de dedução e um senso de observação extraordinários, ajudados por uma cultura geral extensa e variada (ex: é capaz de identificar a marca de um tabaco somente pelo seu cheiro e pela cor de suas cinzas). Quando envolvido com algum problema, pode passar noites sem dormir ou comer, o que inquieta o amigo Watson. Mestre na arte do disfarce, com um pouco de pó-de-arroz  e alguns tufos de cabelos auxiliado por seu talento teatral conseguiria enganar a própria mãe!

Sir Arthur Conan Doyle (1859-1930), médico e escritor.

Outra de suas marcas registradas, a frase: “Elementar, meu caro Watson”, foi criada no teatro, com muitas outras particularidades, como o cachimbo curvo do detective. Muito embora alguns aleguem que se trate de uma das primeiras falas do personagem em seu romance de estreia Um Estudo em Vermelho (1887), ela não se encontra no original nem em outras traduções do texto. No resto de toda a obra, a frase não torna a acontecer, aí sim tendo sido popularizada pelas adaptações das aventuras no cinema, tv e rádio. Outro fato curioso também é que Sherlock jamais atirou em alguém, carregava uma arma pequena, curta, jeitosa e muito útil, a usava como um suporte para intimidar ou deter alguém, sempre que precisou atirar acegurava-se de não matar ninguém pois uma das cobranças que fazia a si mesmo era a de garantir prender o culpado e entrega-lo para ser julgado. Um cadáver para Sherlock seria considerado um trabalho incompleto.

Família

Segundo alguns indícios (literários), Holmes nasceu em 6 de Janeiro de 1854 , filho de um agricultor e de uma mãe de origem francesa, considerando que sua avó era filha do pintor Horace Vernet. Tinha um irmão mais velho, Mycroft Holmes, trabalha para o Serviço Secreto Britânico. Mycroft passa a maior parte do seu tempo livre no Diogenes Club. Segundo Holmes, seu irmão Mycroft não somente é mais brilhante do que ele próprio, como também possui um senso de observação e de dedução muitas vezes superior, embora seja considerado “muito preguiçoso” para ir aos locais das investigações para analisa-las quando faltam informações. Em um de seus casos, intitulado por Watson de  “O Intérprete Grego”, o colega de quarto descreve um encontro entre os irmãos, onde os dois se encontram no Diogenes Club (que é um espaço para a elite intelectual, politica e rica de Londres se encontrarem ou fugirem um pouco da rotina), cujo Microft é um dos fundadores. Os dois mantêm um diálogo recheado de deduções sobre um transeunte que deixam Watson completamente perdido com a lógicas dos dois.

Os Livros (ordem cronológica)

Romances e Contos

*O período de 1911 a 1913, Doyle se cansou do sucesso de seu detective e resolveu parar de escrever sobre ele, essa pausa é conhecido pelos sherlockianos como The Great Hiatus (O Grande Hiato de Doyle).

Sherlock, o Original e os Derivados

Eleito pela crítica como o mais fiel (interpretação/roteiro) Sherlock Holmes.

Depois de observar qualquer estranho, o Dr. Joseph Bell (18371911), um cirurgião de Edimburgo, era capaz de deduzir muito de sua vida e de seus costumes. Isso impressionou um de seus alunos, Arthur Conan Doyle, que admitiu ter usado e ampliado seus métodos quando concebeu o detective Sherlock Holmes. Bell inspirou não somente a criação da personalidade de Holmes, mas também o porte físico do detective. Em um texto publicado no periódico The National Weekly em 1923, Doyle conta como foram seus anos na faculdade de medicina, quando iniciou o processo de criação de seu personagem mais famoso (Doyle também é o responsável pela série O Mundo Perdido). Neste, o aluno descreve seu notável professor Bell:

“Era magro, vigoroso, com rosto agudo, nariz aquilino, olhos cinzentos penetrantes, ombros retos e um jeito sacudido de andar. A voz era esganiçada. Era um cirurgião muito capaz, mas seu ponto forte era a diagnose, não só de doenças, mas de ocupações e caráteres.”

Doyle teria se baseado também na filosofia metodológica de Bell, que dizia:

“A maioria das pessoas vêem, mas não sabem observar”, dizia o dr. Bell aos seus alunos. “Olhando de relance um indivíduo, a gente pode identificar-lhe o país de origem por suas feições; pelas mãos, a profissão e os meios de vida; e o resto da sua história é revelado pelo modo de andar, os maneirismos, os berloques do relógio, e até os fiapos que aderem às suas roupas.”

Exemplo de personagem influenciado pelo personagem de Doyle, na televisão, é o detetive Adrian Monk, da série homônima, que tem um senso de observação e dedução do mesmo nível de Sherlock, mas destaca-se pelo seu transtorno obsessivo-compulsivo (que, por sinal, são parte de seu sucesso como detective). Outro personagem inspirado em Sherlock é Gregory House, da série de TV norte-americana House M.D., chefe do departamento de diagnósticos que utiliza lógica dedutiva para desvendar as mentiras de seus pacientes; House está sempre dizendo: “Todo mundo mente”. As similitudes entre Holmes e House são muitas: o homem que atirou em House se chama Moriarty, maior inimigo de Holmes, House também é viciado, também tem gosto pela música e mora no número 221. (Você nunca tinha reparado nisso não é mesmo?! ^^)

Gregory House, cognome Sarcasmo.

Nos desenhos, a Disney criou o personagem Sir Lock Holmes, visivelmente inspirado em Sherlock pois, além do nome parecido, possui o mesmo porte físico, está sempre com o cachimbo e gosta de tocar violino. Diferente de Sherlock, porém, é totalmente desafinado no violino e erra todas as deduções (estando mais para Inspetor Clouseau rsrsrsrsrs). Outro personagem da Disney com nome e características parecidas é Berloque Gomes, porém este não é um personagem cômico, e sim um detective que auxilia Mickey (o personagem mais sem graça de Walt) em algumas investigações (pois é quem não tem criatividade pra criar algo original vive de cópias mesmo).

 

Filmes e séries: os mais famosos são esses Sherlock Holmes (1922), The Private Life of Sherlock Holmes (1970), Young Sherlock Holmes (1985), Sherlock Holmes (2009), Sherlock (2010)(essa é uma recente série britânica, leia mais sobre ela logo abaixo), Sherlock Holmes: A Game of Shadows (2012). Para os fãs de desenhos, a melhor adaptação animada de Sherlock pode ser conferida no desenho Sherlock Holmes no Século XXII, recomendo, a trama é muito boa.

A trama futurista foi uma boa adaptação, recomendo.

Sherlock é a mais nova adaptação do personagem feita pela televisão britânica, a série que apresenta uma versão contemporânea de Sir Arthur Conan Doyle ‘s Sherlock Holmes histórias de detective. Ela foi criada por Steven Moffat e Mark Gatiss , e as estrelas Benedict Cumberbatch como Sherlock Holmes e Martin Freeman como doutor John Watson . Depois de um piloto unbroadcast em 2009, a primeira série de três episódios de 90 minutos foi transmitido na BBC One e BBC HDem julho e agosto de 2010. Uma segunda série de três episódios estreou na BBC One em 1 de Janeiro de 2012. A terceira série já foi encomendado. (Yahooooo!)

Destaque para a trilha sonora e a excelente adaptação da trama. Recomendo.

Hartswood Films produziu a série para a BBC , e co-produzido com WGBH Boston para sua Masterpiece série de antologias . As filmagens tiveram lugar em vários locais, incluindo Londres e Cardiff .

Recepção crítica foi muito positiva, a primeira série ganhou o 2011 BAFTA Television Award para Melhor Série de Drama. A primeira série, juntamente com o piloto unaired e comentários em áudio, foi lançado em DVD e Blu-ray Disc em 30 de agosto de 2010. A segunda série, também com comentários, é para ser lançado em DVD região 2 em 23 de Janeiro de 2012.

Curiosidade:

Apesar do grande sucesso de sua obra, Conan Doyle não gostava de escrever histórias para Sherlock Holmes pois considerava o romance policial literatura de segunda classe e, na verdade, esse tipo de história só passou a ser respeitado após o sucesso de seu personagem. Conan Doyle preferia escrever o que considerava literatura de qualidade, o único livro medianamente famoso é O Mundo Perdido. Em uma certa ocasião o Dr. Watson chega a dizer: “A obra é tudo, o autor não é nada.” Por esse e outros motivos muitos leitores verem Watson como um Doyle mascarado.

SOBRE AS MINHAS LENTES:

Primeiro uma dica, se for ler ou comprar algum livro da série, indico a editora Melhoramentos, pois ele tem uma das mais conceituadas traduções de Sherlock Holmes no Brasil. Algumas outras boas editoras como a Martin Claret, que oferecem os livros a baixo preço (R$ 9,00 à R$ 14,00) não tem uma boa tradução, sendo os textos muito resumidos e algumas poucas passagens equivocadas.

O personagem é fantástico embora algumas pessoas o achem preconceituoso (deve-se ter em mente que Sherlock está inserido em um contexto bem diferente da nossa realidade), muito cativante e a trama é envolvente, deixa o leitor com expectativa criando suas próprias teorias para a solução dos casos. É uma ótima opção de leitura, recomendo a todos!

Sobre as novas adaptações, particularmente não gostei tanto do filme lançado em 2009, o Junior é um boa ator, mas a fisionomia de  Sherlock e Watson ficaram conflitantes, a fisionomia de Law é perfeita para interpretar o personagem, mas eles não deixariam o ator mais caro com o papel secundário não é? ^^. Mesmo assim é muito divertido ver uma nova versão de Sherlock ganhando as telas.

De toda forma podemos notar que os “novos” Sherlocks são mais divertidos e engraçados, com um humor menos seco e podemos dizer que estão mais moderninhos. Como fã da série o do personagem, eu diria que o melhor romance sherlockiano é O Cão dos Baskervilles, e melhor conto na minha escolha é o caso d’O Ritual de Musgrave.

Como um homem cético pode vencer algo sobrenatural?

Traços, Palavras e Sabedoria.

Essa é minha 75ª postagem e com ela o status sobe para 3 estrelas no servidor do WordPress. Para comemorar vou dedicar essa postagem as pobres mentes que por sua arrogância e teimosia em não reconhecer o valor e a importância da Nona Arte.

Heróis, sejam eles fictícios ou não, o ser humano sempre precisará de um.

Dos quatro pilares nos quais se assenta a cultura humana (Arte, Mística, Filosofia e Ciência), a Arte é muito provavelmente a mais antiga a ser regularmente praticada pela humanidade. A constatação é verificada entre nas peculiares pinturas feitas pelos primatas ou pelos detalhes em objetos de cerâmica. A palavra arte é hoje é muito mal empregada, qualquer coisa vira “arte” se é citada num jornal ou comentada por alguma pessoa famosa, as Artes nos dias atuais são dividias em áreas assim: Música, Dança, Pintura, Escultura, Literatura, Teatro, Cinema, Fotografia e Arte Sequencial (ou também conhecida como quadrinhos, banda desenhada ou grafic novel). É importante lembrar que essa sequência NÃO está disposta em uma hierarquia, o Cinema por exemplo só foi inventado depois da Fotografia e é chamado como a Sétima Arte, mas sem nenhum peso de importância maior que as outras Artes.

Só a riqueza de detalhes e as cores já é digna de apreciação.

Ontem tive uma conversa com uma amiga da faculdade, do curso de Letras, apesar de ser uma ótima pessoa ela insiste em achar que desenhos, quadrinhos e qualquer coisa do gênero é coisa de criança e categorizar dizendo que “Não é leitura”. Minha cara amiga esse pensamento é muito atrasado, já foi se o tempo em que ao ver um adulto lendo um gibi era sinal de ignorância, infantilidade, retardo mental ou pouca inteligência. Qualquer um que ainda pense assim, é o verdadeiro atraso. Você nem vislumbra nos desenhos, o teor filosófico, psicológico e as informações cientificas dignas de uma especialização. E para mostrar um tostão do valor profundo e criativo dos quadrinhos, vou citar algumas das frases de quadrinhos (HQs e Mangás) e desenhos animados (ocidentais e orientais) que me chamaram (e ainda chamam) a atenção, e convido a qualquer um a acrescentar nos comentários qualquer frase não citada, que tenha sido marcante para si e que queira compartilhar.

Essa imagem por si só já é uma opção de "leitura".

“Só os fracos sucumbem a brutalidade.” – Super-homem em conversa com a Mulher-Maravilha, O Reino do Amanhã.

“Quer dores físicas ou psíquicas, o crime fere todos que toca, traz lesão e morte e no final destrói toda a esperança.” – Batman, em Batman – Guerra ao Crime.

Quis custodiet ipsos custodies.” Celebre citação latina que citada por Batman na Séria Liga da Justiça e na obra de Alan Moore, referente as precauções com as autoridades é posta em Watchmen como “Quem vigia os Vigilantes?” que é um tema na política (a frase original é de Juvenal o poeta).

“As maiores vitórias são as lições aprendidas no decorrer da jornada.” –  Thanos, o arquivilão da Marvel. Ao se justificar a Adam Warlock no final da Trilogia do Infinito sobre se havia valido a pena ter tido o poder supremo só pra depois deixar-se ser derrotado.

“Não existe coincidências, somente o inevitável.” – Mizuki, Sakura Card Captors

“Viver e superar os medos é uma tarefa muito árdua.” – Miroku, Inuyasha.

“Os túmulos ficam para o consolo dos corações dos que ainda vivem.” – Kaede, Inuyasha.

A fina arte de contar histórias com imagens.

“Você tem braços e pernas perfeitas….use-as!” – Edward Elric, personagem de Full Metal Alquimista que ao mexer com conhecimentos proibidos acaba perdendo um braço e uma perna, e passou a usa próteses.

“A vida é boa só pelo fato de existir.” – Digimon.

“Acho que vocês ainda não entenderam… Não sou eu que estou, preso aqui com vocês… São vocês que estão presos comigo… – Rorchack, Watchmen. Quando personagem (um vigilante) é preso e vai parar na cadeia onde muitos dos presos estão lá por sua causa.

“Com grandes poderes vem grandes responsabilidades.” – Ben Parker (o Tio Ben), Homem-Aranha. Essa é de longe uma das mais clássicas frases das histórias em quadrinhos!

“Senhores estamos sendo atacados; vamos tomar um chá.” – Aizen, Bleach.

“Se eu não empunhar a espada, não posso te proteger. Mas se eu empunhar a espada, não posso te abraçar.” – Kurosaki Ichigo, Bleach.

“Esse país está doente e não pode ser curado, pois não existe remédio para a ignorância. ” – Dalton, One Piece.

Um perfeita opção para apreciadores do gênero Romance Policial.

“Shaaaanks (choro de criança) seu braço.” “Um braço é um preço barato a se pagar , estou feliz que você esteja bem.” – Shanks, One Piece. Após salvar Luffy de ser devorado por um monstro do mar.

“Arriscar a vida e desperdiçá-la totalmente em vão, são coisas distintas.” – L, Death Note.

“Não importa o quanto tente, você sozinho não pode mudar o mundo. Mas este é o lado bonito do mundo.” – L, Death Note.

“Agora vocês já podem ir pra casa tomar café com leite.” – Vegeta, DBZ. Para Kulilin e Yancha ao chegar no campo de batalha.

Alan Moore e sua obra, um prato cheio para pensadores e ativistas.

“Se existe alguém que pode machucar você, existe alguém que pode curar suas feridas.” – Souma Hatori, Fruits Basket.

“Pessoas que desobedecem as regras são a escória, isso é verdade, mas as pessoas que abandonam os amigos são piores que a escória.” – Kakashi, Naruto.

“Se eu fosse a chuva poderia eu me conectar ao coração de alguém assim como ela pode unir os eternamente separados terra e céu?” – Bleach (me lembrei da frase mais não do personagem ^^).

“Numa luta, fraco não é aquele que não sabe lutar, mas aquele que não tem determinação.” – Kuchiki Rukia, Bleach.

“Mesmo que não possa mais confiar em ninguém, confie em si mesmo e exploda.” – Kuchiki Rukia, Bleach.

“O que é um coração? Se eu cortar esse peito, eu poderei ve-lo lá dentro? Se eu destruir essa face eu poderei ve-lo lá dentro?” – Ulquiorra, Bleach.

A força feminina, o alienígena e o humano.

“Eu existo para lutar apenas por mim mesmo, amar somente a mim mesmo e matar todos além de mim.” – Gaara, Naruto.

“Está sendo corrompido por esse sentimento! Por favor coronel… não vá para onde eu não possa segui-lo…!” – Riza Hawkey.

“Se eu não empunhar a espada, não posso te proteger. Mas se eu empunhar a espada, não posso te abraçar.” – Ichigo, Bleach.

“Não acha que ser verdadeiro consigo mesmo seria uma forma de demonstrar força?” – Tamaki Suou, Ouran.

“Sonhos, ilusões, são tudo o que eu tenho. Se eu viver sem eles, não terei nada.” – Keitarô Urashima, Love Hina.

“Falsas lágrimas machucam aos outros… Falsos sorrisos machucam a si mesmo.” – Code Geass.

“Quem vive um dia morre e quem morre um dia renasce.” – Kikyou, InuYasha.

“Não importa quão boa seja a arma, ela é inútil se a mão que a empunha é fraca.” – Mifune, Soul Eater.

Nova arte do Coruja, essa figura lhe parece familiar? ^^

“Ei, Hachi… mesmo que as pessoas continuem machucando umas às outras… amar um ao outro não é desperdício.” – Nana Osaki, Nana.

”Eu tenho três filhos e nenhum dinheiro,porquê não posso ter nenhum filho e três dinheiros?” – Homer Jey Simpson, Os Simpsons.

“Tô mais quebrado que arroz de terceira, mas ainda te arrebento!” – Yosuke Urameshi, Yu-Yu Hakusho (no meio de uma luta).

“Armas não matam pessoas. Pessoas é que matam pessoas.” – Batman, O Cavaleiro de Gotan. Batman conversava com um outro justiceiro sobre o fato de o porque o Morcego com tantos recursos não usava armas de fogo.

“Agora que eu penso nisso, desistimos de uma vida para salvar outra… Acho que aquela foi a nossa primeira derrota.” – Takashi Komuro, Hight-School Of The Death.

“Não importa se são criminosos uma vida é uma vida.” – L, Death Note.

“Uma pessoa com o dom de matar não é abençoada e sim amaldiçoada.” – L, Death Note.

“Os indivíduos só são heróis quando não podem agir de outra maneira.
“Os heróis são responsáveis por tudo.
“Os heróis são aqueles que tornam magnífica uma vida que já não podem suportar.
“Os heróis proíbem que os choremos; só os fracos reclamam lágrimas. ” – Juramento do Verdadeiro Herói, Marvel.

Um clássico da década de 90, exibido na falecida Rede Manchete.

“Que a carne queime, que as ruas fiquem vermelhas com sangue, e que o universo uive em desespero, pois eu retornei.” – Darksied, Liga da Justiça Sem Limites.

“Porque eu nunca desisto? E porque eu tenho morceguinhos no sótão! HAAHAHA…” – Coringa, Batman – Asilo do Coringa.

“HULK…ESMAGAAAAA!!!!!!!!!” – Hulk, O Incrível Hulk. Outra celebre e clássica citação dos quadrinhos. Claro princípios de primitivismo na personalidade do verdão.

“Ele não e um heroi, ele e só um vigilante que aguenta ser caçado, mas essa cidade, deve tudo a ele.” – Gordon, Detective Comics. O detetive se referia a Batman.

“Eu sou o melhor no que faço. Mas o que eu faço não é muito agradável.” – Wolverine, Wolverine Origem.

“Quando uma pessoa olha para outra e em seu olhar renega a existência da outra, seu olhar se torna mais frio e mais terrível que uma tempestade no mais duro inverno.” – Sarutoby – Terceiro Hokage, Naruto. O Hokage falava sobre como uma pessoa excluída da sociedade se sente ao ver o olhar no rosto das pessoas que não a respeitam.

“Só o Sombra sabe o mal que se esconde nos corações dos homens!” – Sombra, O Sombra.

“Mesmo que morra em um buraco, um homem deve morrer caindo para frente.” – Sakamoto Ryoma, Kyoujin no Hoshi.

“Não importa o que o mundo diz de mim, o que importa é que eu nunca fiz nada que contrariasse os meus princípios e nunca farei.” – Zoro, One Piece.

“Não se mostra gratidão morrendo.” -Monkey D. Ruffy, One Piece.

Outra série aclamada é a CDZ, sendo a melhor fase (na minha opinião) a Saga Hades.

“Se a amizade é verdadeira, ela dura para sempre, não importa quanto tempo passamos juntos!” – Mr.2 Bon Clay, One Piece.

“Isto é o tipo de coisa que não deveria ser interrompida! Propósitos herdados, sonhos de uma pessoa, mudanças de uma época. Enquanto o ser humano continuar a buscar significado para a sua liberdade, ele não poderá ser calado… Jamais!” – Gol D. Roger, One Piece.

“A verdadeira arte resiste às gerações…” – Sasori, Naturo. (Você ainda acha que uma frase dessa é feita para crianças?)

“Pessoas se tornam fortes porque existem memórias que elas não esquecem.” – Tsunade, Naruto.

“Entre os mais fortes existem os que nasceram com um dom, e aqueles que trabalharam duro… E eu sou um dos que trabalhou duro!” – Rock Lee, Naruto.

“Quando uma pessoa tem alguém a quem quer proteger, então se torna verdadeiramente forte…” – Haku, Naruto.

“Ter um sonho que se torna realidade, e estar feliz, são coisas diferentes.” – Oosaki Nana, Nana.

“A arte é a “beleza eterna” algo que dure para sempre se mantendo permanente, dessa forma se torna verdadeiramente bela apenas por meio do tempo” – Sasori, Naruto.

“Hakuna Matata!” – Timão e Pumba. (Hehehe não resisti ^^)

“Buwaahahahaha!!!” – Don, Bleach.

“Esse rancor será levado comigo para o inferno. Nós vingaremos os seu rancor. Quer saber como é a morte? Seu pedido será atendido.” – Jigoku no Shoujo, Hell Girl.

“Por puro capricho eu não te matei daquela vez e por puro capricho vou te matar agora…” – Sasuke Uchiha, Naruto. (Adimita, se não tivesse o nome do personagem e do anime você poderia jurar que é uma citação shakespeariana.)

“Se o mundo vira as costas para você, você vira as costas para o mundo.” – Timão, O Rei Leão.

“A luta acabou mas enquanto ele continuar vivendo ele terá que lutar, pois nunca irá abandonar a luta.” – Chupa-Cabra (também conhecido como Diabo, Trapizomba ou Jorge) no final de Yu-Yu Hakusho.

“As pessoas sempre tentam manter uma fachada em público, mas aqui jaz a mentira deles.[…] Todos tentam ignorar a minha existência […] mas no seu intimo, aqueles de consciência limpa torcem por mim.” – Yagami Raito, Death Note.

“A arte é um estouro! ” – Deidara (Naruto). (é mais engraçado quando você sabe que quem diz isso é uma maníaco que faz esculturas com argila que explodem.

“Transformar o simples em complicado é fácil, porém transformar o complicado em simples exige criatividade.” – Edward Elrik, Fullmetal Alchemist.

“Vocês só dão importância a si mesmos. Acham que podem adiar a morte. Vocês se iludem com essa frívola paz. Quando se mata alguém, você assina sua própria sentença de morte. O ódio é a corrente que liga vocês.” – Nagato/Pain, Naruto.

“Eu sou um homem-santo, o mais próximo de Deus. A única diferença ente eu e Deus é que Deus é misericordioso. A não ser que lhe poupando de todo os sofrimentos desse mundo não seja também um ato de misericórdia.” – Shaka de Virgem, Cavaleiros do Zodíaco. Shaka prestes a matar algumas pessoas.

“Humanidade não tema, com os Autobots não há problema.” – Bambo Bi, Tranformers.

“O povo da significado ao símbolo, em significado um símbolo não é nada.” – V, V de Vingança.

“A mente verdadeira pode lidar com a mentira e a ilusão sem se perder. O coração verdadeiro pode suportar o veneno do ódio sem sofrer danos.” – Tartaruga-Leão, Avatar – A lenda de Aang.

“Se o kriptoniano ou a amazona fizessem o seu jogo, eles teriam falhado. Porque não têm convicção para destruir o planeta inteiro para obter sucesso. Mas você? Um humano? Vocês matam a sua própria espécie para vencer batalhas. Uma qualidade louvável.” – Darkseid para Batman, em Superman & Batman – Apocalypse, quando o Morcego, com seu intelecto, consegue o que nem o Homem de Aço nem Dianna conseguiriam com superforça e superpoderes! – É inegável as possibilidades de debate e reflexão sobre essa frase, e ainda tem gente que diz que não se aprende nada no mundo dos desenhos. ¬¬’

Espero que tenham gostado, só me lembrei dessas. ^^

SUGESTÃO: Aqui fica um dica, relacionei áreas de estudo com uma opção de leitura de quadrinhos.

Química ou Física – Quarteto Fantástico.
Psicologia ou Letras – Watchmen.
Sociologia ou Filosofia – X-Men ou V de Vingança.

Luz, câmera, adaptação!

Nas palavras deles.

Das páginas para a telona.

Não é de hoje que aclamados best-selles estão são “convertidos” para o cinema. Mas essa receita presta? A primeira década do século XXI foi recorde de adaptações e readaptações (remakers), citando apenas alguns claramente conhecidos O Senhor dos Anéis de professor de Oxford J. R. R. Tolkein, a séria de infanto-juvenil Harry Potter de J. K. Rowling que apaixonou até os adultos, Caçador de Pipas um romance do escritor afegão-americano Khaled Hosseini, o único Nobel da língua portuguesa Ensaio Sobre a Cegueira de José Saramago, a séria (melosa) de Stephenie Meyer que foi abertamente criticada pelo famoso escritor Stephen King que também já teve muitos de seu livros levados pro cinema.

Meu filho ganhará mais livros que bonecos dos Power Ranger.

Mas não são apenas os livros que estão na mira dos roteirista e produtores, desde a greve dos roteiristas em 2003 que os fãs dos quadrinhos vêem com expectativa cada anuncio de adaptação feito pelos hollywoodianos. Listando só pra começar o imortal Alan Moore teve muitas de suas obras levadas pro cinema, e foi contra cada adaptação de cada uma delas, chegando a exigir que seu nome não constasse em nos créditos, só listando Do Inferno, A Liga Extraordinária, Constantino, V de Vingança e Watchmen (os narizes empinados que acham que quadrinhos não é leitura aqui vai uma curiosidade, Watchmen já recebeu o Prémio Hugo de Literatura e é a única HQ a figurar na lista dos 100 Melhores Romances do Século XX da respeitada revista Time). Nem preciso citar os sempre produzidos Robin Hood, Batman e Superman né?!

Leia as críticas, saiba como são diferentes.

Eu (como a grande maioria) não fico satisfeito quando assisto um filme adaptado de um livro, jogo ou de uma HQ, sendo mais criterioso os únicos que não me desapontaram foram 300, O Senhor dos Anéis, Ensaio Sobre a Cegueira e V de Vingança, e o pior fracasso posso dizer sem dúvida que foi adaptação de Homem-Aranha (sobre tudo o 3º filme da sequência) de Stan Lee. Claro que eu não espero que façam com todos as adaptações o que fizeram com a obra de Saramago que está fidelíssima ao livro, o próprio Saramago só se queixou do tamanho do cachorro usado no filme. Lógico que quando um cineasta ou roteirista pensa numa adaptação ele visualiza logo um cheque pomposo e um bonequinho dourado na estante, e deixa “alguns” detalhes de lado. Por esses e outros motivos muitos fãs, seja de livros, quadrinhos ou jogos ficam com receio e até evitam conferir as adaptações cinematográficas de suas historias prediletas ou herois favoritos.

Um mestre dos romances.

O que vem por aí.

Eu já assisti a versão em desenho e estava fiel, recomendo.

A adaptação mais esperada para esse ano está sendo apontada como O Hobbit, outro famoso livro de J. R. R. Tolkien. O projeto esta sobre a mesma tutela dos responsáveis pelo O Senhor dos Anéis (a trilogia ganhou 17 Oscas ao todo!) e já foi revelado que o filmes será dividido em duas partes intitulados Uma Viagem Inesperada e a segunda parte Lá e de Volta Outra Vez (nome original dado por Bilbo, personagem de Tolkein às suas andanças). O Hobbit conta os fatos acontecidos na jornada em que Bilbo encontra o Anél Mágico, o Um. Os fãs ficam se perguntando quando é que sairão os filmes do Silmarillion, que conta a história da criação do mundo fantástico criado por Tolkien e narra, por alto, boa parte da sua mitologia. A resposta é: nunca. Os direitos d’O Silmarillion pertencem à Tolkien Estate, empresa que gerencia os direitos autorais de todas as obras do linguista de Oxford e que é presidida por seu filho, Christopher Tolkien, que não simpatiza com a ideia de adaptar O Silmarillion ou Os Contos Inacabados, obras mais complexas da bibliografia de Tolkien. A única esperança dos cinéfilos tolkienianos é que algum diretor se anime a produzir os complexos filmes quando a obra do escritor cair no domínio público, mas eles terão que esperar até 2043, quando completam setenta anos da morte do autor. :’-(

Professor de línguas, escritor e poeta.

O Senhor dos Anéis, obra máxima de J. R. R. Tolkien, foi adaptada para os cinemas por Peter Jackson e teve uma das maiores bilheterias de todos os tempos. O Hobbit, outro livro do autor inglês sobre o mundo de Arda, está para sair em 2011. E os fãs ficam se perguntando quando é que sairão os filmes do Silmarillion, que conta a história da criação do mundo fantástico criado por Tolkien e narra, por alto, boa parte da sua mitologia. A resposta é: nunca. Os direitos d’O Silmarillion pertencem à Tolkien Estate, empresa que gerencia os direitos autorais de todas as obras do linguista de Oxford e que é presidida por seu filho, Christopher Tolkien, que não simpatiza com a ideia de adaptar O Silmarillion ou Os Contos Inacabados, obras mais complexas da bibliografia de Tolkien. A única esperança dos cinéfilos tolkienmaníacos é que algum diretor se anime a produzir os complexos filmes quando a obra do escritor cair no domínio público, mas eles terão que esperar até 2043, quando completam setenta anos da morte do autor.

Dia do Quadrinhos Nacional 2012

Essa postagem é uma especial, gostaria de ajudar no evento mas como não posso, vou ajudar na divulgação e dar uma forcinha ao meu amigo Luís Carlos, então fica aqui a dica de evento para esse mês.

Em 2012, o Fórum de Quadrinhos do Ceará fará muito mais, continuando antigos sucessos e trazendo grandes novidades!

Tudo começa em 28 de janeiro de 2012 com as comemorações do Dia do Quadrinho Nacional. Para dar uma água na boca a todos, colocamos um release e parte da programação a seguir. Confiram!

“O Dia do Quadrinho Nacional foi criado em 1984 numa iniciativa da Associação dos Quadrinistas e Cartunistas do Estado de São Paulo (AQC-SP). A data comemora a publicação da primeira História em Quadrinhos Brasileira, em 30 de janeiro de 1869, Impressões de uma Viagem à Corte, do ítalo-brasileiro Angelo Agostini, que editava, escrevia e desenhava as HQs. Hoje, o autor dá nome a uma das mais importantes premiações de quadrinhos do Brasil: o Troféu Angelo Agostini.

 Pelo terceiro ano consecutivo a Gibiteca de Fortaleza abriga a celebração do Dia do Quadrinho Nacional. Em 2012, o evento ocupará três ambientes da Biblioteca Dolor Barreira. Serão oficinas, painéis, exposições, lançamentos, exibições de vídeos, gibiarte e Banca do Brasil. Especialmente esse ano teremos artistas convidados vindos de Crato, Limoeiro do Norte e Sobral! Além de muitas outras novidades! Não deixe de conferir!

As comemorações do Dia do Quadrinho Nacional 2012 acontecerão no dia 28 de janeiro, das 8h às 18h, na Gibiteca de Fortaleza, espaço da Biblioteca Dolor Barreira, Av. da Universidade 2572.

 Pátio Dolor Barreira
Exposição TOP 5 BRAZUCA
Banca do Brasil

8:00 – ABERTURA

Gibiteca:
8:30 às 11:30 – GIBIARTE

Auditório: 
8:00 às 9:00 – VÍDEO QUADRINHOS – Animações e documentários
9:00 às 10:00 – OFICINA 1 – DIAGRAMAÇÃO E NARRATIVA VISUAL (com Daniel Brandão e Geraldo Borges)
10:00 às 11:00 – Lançamento QUATRILHO DO RISO pelos selos Laboratório Espacial e Z&A Quadrinhos

11:30 – 13:00 – INTERVALO PARA ALMOÇO

Gibiteca:
13:00 às 14:00 – PAINEL TOP 5 BRAZUCA com Eduardo Silva
14:00 às 15:00 – Lançamento RAFAGA e COLETÂNEA QUADRINHOS EM HISTÓRIA
15:00 às 16:00 – PAINEL TURMA DO LIMOEIRO
16:00 às 17:00 – PAINEL MSP 50 CEARÁ

18:00 – ENCERRAMENTO”

Já deu pra sentir o gostinho, mas muitas outras atrações serão confirmadas até o dia – ilustres parceiras estão sendo fechadas para encorpar esse evento com o melhor que há do quadrinho nacional. Além disso, ao final das atividades o calendário do primeiro semestre de atividades do Fórum será divulgado. Completamente imperdível!
Gostou? Quer mais? Então acesse os links com mais informações sobre o DQN no visite o blog do evento http://fqce.blogspot.com

Jumper (filme)

Jumper é mais uma produção americana, lançado em 2008, o filme é uma adaptação de um livro homônimo escrito por Steven Gould em 1992. Foi dirigido por Doug Liman e estrelado por Hayden Christensen. Teve um orçamento de US$ 85 milhões e arrecadou 222.231.186 dólares.

Foi lançado em 14 de fevereiro de 2008 nos Estados Unidos e em Portugal, e em 28 de março de 2008 no Brasil. O filme mostra um rapaz que é capaz de se teletransportar para qualquer local e é perseguido por uma organização secreta, os Paladinos, que seria uma modernização da Inquisição e que pretende de matar todos os Jumpers.

O filme é muito bom (mas como sempre o livro é melhor ^^)

Recepção da crítica

O filme recebeu geralmente opiniões negativas dos críticos. O Rotten Tomatoes relatou que 16% dos críticos tiveram opiniões positivas com relação ao filme, baseado em 156 críticas – o consenso era: “um filme errático de ação com pouca coerência e efeitos especiais sem brilho”. Por comparação, Metacritic, que atribui uma avaliação normalizada em 100 a partir de comentários críticos, calculou uma pontuação média de 35, baseado em 36 críticas. Marc Salov, do Austin Chronicle, chamou o filme de “… muito inteligente, partes divertidas, bem trabalhado pelo Liman, edição apertada, ação embalada em um feixe de ousadia”.No USA Today, Claudia Puig afirmou que o filme é como “um vôo de fantasia que nunca decolou inteiramente”.Brian Lowry, da Variety, escreveu que Jumper é “inteligente, mas extremamente delgado”.No The New York Times, o crítico Manohla Dargis descreveu Jumper como “um pouco coerente gênero misturado sobre um rapaz que pode se transportar à vontade por todo o globo”, dizendo que “é difícil para quem está de fora saber quem merece a maior parte da culpa por este fracasso”.

Trilha sonora

Jumper: Original Motion Picture Soundtrack
Trilha sonora por John Powell
Lançamento 19 de Fevereiro de 2008
Gravadora(s) Lakeshore Records
Opiniões da crítica

O score foi lançado em 19 de fevereiro de 2008, depois do lançamento do filme. Todas as faixas foram compostas por John Powell. A música foi acompanhada por Brett Weymark e executada pela The Sydney Scoring Orchestra ao todo são 21 faixas.

Sequências

Antes do lançamento do filme, Hayden Christensen refletiu sobre a possibilidade de uma ou mais sequências: “O filme foi definitivamente criado de uma forma que permitirá mais filmes, e Doug teve o cuidado de se certificar de que criou personagens que tem espaço para crescer”. Lucas Foster declarou, durante a produção do filme, “As idéias são tantas que realmente não poderiam se encaixar em, você sabe, um ou dois filmes. Elas precisavam evoluir durante um mínimo de três filmes. Então, planejamos a história ao longo de três filmes e a dividimos de um jeito que deixasse espaço para os outros dois”. Os títulos já foram divulgados (Jumper-“Jumping From Novel To Film: The Past, Present and Future of Jumper” (Special Feature) mas serão exclusivos para locação.

Minha Opinião

O filme de fato é muito bom, tem doses de humor, ação e romance. A trama deixa no ar algumas perguntas como: Vale apena ter tudo e não ter ninguém? Só porque você tem a possibilidade de fazer algo ilegal sem ser pego, você tem o direito de fazer? Depois de assistir o filme eu encontrei um “gibi” da historia na internet, parte dessa HQ está no Extra do DVD. Meses depois tive a oportunidade de ler o livro (nem preciso dizer que o livro é muito melhor), a obra de Steven Gould não estava em português, arranhando um pouco de inglês e usando um tradutor nas passagem mais complicadas concluir o livro. Pessoalmente indico quem poder adquirir, no momento estou tentando conseguir a obra seguinte Griffin’s Story que centraliza o personagem que mais chamou minha atenção no filme.

O Menestrel – William Shakespeare

UM POUCO SOBRE O AUTOR.

Sou fã dele, já li metade de suas obras. Recomendo à todo!

Começarei esse ano sugerindo a leitura de um dos mais extraordinários poemas que já li, O Menestrel de William Shakespeare (1564 — 1616) um dos imortais da literatura e dramaturgia universal. Tido por muitos como o maior escritor da língua inglesa e o mais influente dramaturgo de todos os tempos, seu estilo literário se solidificou em tragédia, drama, comédia, poesia, e romance. Não existe consenso quanto Shakespeare produziu, de suas obras restaram 38 peças, 154 sonetos, 2 longos poemas narrativos, e diversos outros poemas. Suas peças foram traduzidas para os principais idiomas, e são encenadas mais do que as de qualquer outro dramaturgo.Muitos de seus textos e temas, especialmente os do teatro, permaneceram vivos até os dias atuais, sendo revisitados com freqüência pelo teatro, televisão, cinema e literatura. Entre suas obras mais conhecidas estão Romeu e Julieta, que se tornou a história de amor por excelência, e Hamlet, que possui uma das frases mais conhecidas da língua inglesa: To be or not to be: that’s the question (Ser ou não ser, eis a questão) e é visto como sua obra máxima.

O Menestrel

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.

E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la…

E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.

E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.

E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam…

Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.

Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens…

Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…

Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.

Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.

VER+:
Se você se emocionou com o poema, assista aqui a atuação de Moacir Reis  interpretando o Menestrel, recomendo à todos!

CONCIDERAÇÕES FINAIS:
No vídeo acima, o texto é da Veronica Shoffstall! O QUE TEMOS DE SHAKESPEARE SÃO PEÇAS E SONETOS! O ator citou O Bardo pois usou um trecho de uma peça no final e mesmo assim de forma ERRADA e sem sentido, pois ele disse: “Nossas DÁDIVAS são traidoras…” o correto é: “Nossas DÚVIDAS são traidoras…”. Fica a correção!

Hokusai Manga

Gravuras de pintor que influenciou mangá são reunidas em livro.

Capa e uma foto de um original de Hokusai, a origem dos mangás.

Formato: Livro
Autor: KAKAOKA, KAZUYA
Editora: RANDOM HOUSE
Assunto: ARTES

ISBN: 4756240690
ISBN-13: 9784756240699
Idioma: Livro em inglês
Encadernação: Brochura
Dimensão: 30 x 21,3 cm
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2011
Número de páginas: 600

Valor da Obra: o preço fica acerca de R$120,00, é livro com um público muito seleto, formado em sua maioria fãs do gênero, especialistas ou colecionadores.

Sinopse: “Hokusai Manga” é uma obra de Katsushika Hokusai (1760-1849), um mestre da arte Ukiyo-e, retratando a vida das pessoas comuns, animais, plantas, paisagens e figuras humanas, históricas e sobrenaturais, até demônios e monstros, como se foram uma enciclopédia visual, no valor de quinze volumes. Este livro seleciona peças de cada volume e compila-los em um livro. A obra original se espalhou no Japão e foi para a Europa no meio do século XIX.

Trezentas pranchas inéditas do La Manga do pintor japonês Katsushika Hokusai (1760-1849) – uma compilação de croquis, desenhos e caricaturas, que influenciou os impressionistas franceses, e ancestral dos mangás contemporâneos – estão reunidos num livro, apresentado na quinta-feira (1), em Paris.

Hokusai é o primeiro a ter suas gravuras incluídas numa só obra e que, na época, fascinaram os artistas Manet, Monet, Degas, tornando-se conhecidas, no Ocidente, graças ao pintor e gravador Félix Bracquemond. O livro Hokusai Manga, de 700 páginas, foi editado por La Martinière.

Animais, caricaturas, paisagens e cenas do cotidiano são reproduzidos em gravuras em madeira da época, no formato 30,3 x 21 cm, acompanhados de textos bilingues (francês-japonês) redigidos por dois especialistas: Hideki Nakamura, crítico de arte e professor emérito da Universidade de Nagoya Zokei, e Mitsuru Uragami, antiquário e especialista em artes asiáticas.

Uragami é considerado “o maior colecionador de Hokusai”, segundo a editora. Ele possui 1.500 trabalhos dele que reúne há 40 anos, tendo apresentado à imprensa dez cadernos, na edição original (1814- 1878) assim como vários desenhos eróticos.

“O mundo conhece, principalmente, as 36 vistas do Monte Fuji e da Grande Onda de Kanagwa, mas Hokusai, que morreu aos 90 anos, numa época na qual a expectativa de vida era de 50 anos, só começou a se interessar por paisagens aos 70 anos”, explicou Uragami.

“Antes, ele se dedicava a retratos dos atores do Teatro de Kabuki e de belas mulheres. Mudou várias vezes de nome e considerava que o valor artístico de uma obra residia na capacidade de seu autor mudar de estilo”, acrescentou. “Hokusai dizia que começou a desenhar aos seis anos, que foi medíocre até os 70 anos e que aos 90 ou 100 anos chegaria, sem dúvida, ao ideal”, prosseguiu o especialista.

La Manga conta com cerca de 4 mil pranchas que Hokusai começou a conceber aos 55 anos, para seus aprendizes – 200 pessoas em todo o Japão. “Os dez primeiros tomos chegaram a ser editados e tiveram um tal sucesso junto ao público que Hokusai decidiu dar continuidade a eles”, acrescentou Uragami.

Segundo ele, os cadernos com os croquis “serviam, então, de divertimento durante festas e reuniões familiares, com os convidados tentando reproduzir os desenhos como fazem, hoje, karaokê”.

OPINIÃO: Embora essa seja realmente uma obra de grande valor sobre o tema, eu aconselho comprar apenas aqueles tem afinidade pelo assunto e um bom domínio de inglês, pois como já foi citado, a obra não tem tradução para o português ainda, e quando houver certamente seu preço vai subir consideravelmente então recomendo baixar o e-book em PDF que pode ser facilmente encontrado em alguns blogues (o e-book também está em ingles!)

Fonte: Canal do Terra.

Adaptado e corrigido por mim.

 

Navegação de Posts