Academiæ

"Me disseram que pensar era ingênuo, e daí? Nossa geração não quer pensar. Pois que pense, a que há de vir."

Arquivo para a tag “Educação”

Um Passo à Frente

Esse será um passo importante para a criação de uma massa crítica e consciente em um país que aceita emissoras e políticas tão alienadoras.

Os que me conhecem há muito tempo sabem que sempre tive minhas próprias ideias de como a Escola, sobre tudo a Educação deveria ser conduzida. Pessoalmente me vejo como um resultado vivo das teorias de um dos mais brilhantes intelectuais brasileiros ainda vivo, o filósofo, psicanalista, educador, teólogo e escritor Rubem Alves. Recentemente a educação nacional que se arrastava na lama começou a engatinha (mas ainda na lama da ignorância das autoridades políticas) com o STF decidindo a favor da lei do piso salarial para professores e a implementação modernizada de arte e música e a retomada de disciplinas na área de humanas (Filosofia e Sociologia). A última notícia que me deixou mais satisfeito na área de educação veio de Rondônia (RO), a OAB – Ordem dos Advogados do Brasil daquele mesmo estado teve a iniciativa de entregar às autoridades políticas uma proposta para ensino de noções básica de Direito nas escolas, essa nova disciplina caberia aos professores de filosofia ou sociologia e tratariam de informações sobre voto consciente e combate à corrupção, leis sobre meio ambiente, direitos do trabalhador, direitos humanos; direitos da mulher; exclusão social; racismo; tortura; homofobia; leis de transito (essa já deveria ter sido implantada se lembrar que esse é o país campeão mundial de morte no trânsito); direito da empregada doméstica; drogas; aborto; direitos matrimoniais e separação (será que começaram a se preocupar com a fragmentação familiar?); bullyng; DST (embora seja um tema importante, não sei se ele necessariamente se aplica aqui); Estatuto da Criança e do Adolescente entre outro.

1930. Esses foi o ano em que Filosofia e Sociologia foram "proibidas" de serem ensinadas na escola, o fim da consciência e do direito de pensar.

A iniciativa por enquanto esta restrita ao estado de Rondônia, mas a OAB já confirmou que espera levar a minuta do projeto para os demais estados, alguns estados já estão avaliando a proposta para ponderar sobre algumas divergências, pois como sabemos a Ordem pode entender de leis e legislação, mas nunca deve ter entrado numa sala de aula (pelo menos não recentemente).
Junto que essa publicação está anexando logo abaixo a proposta na integra oferecida pela OAB (vou destacar em negrito os pontos que acho conflitantes e que na minha opinião merecem uma revisão).

 

PROJETO DE LEI Nº. _________/GVJW-08.
“Dispõe sobre Noções Básicas de Direito nas Escolas no Estado de Rondônia e dá outras providências.”

O GOVERNADOR DO ESTADO DE RONDÔNIA, usando da atribuição que lhe é conferida no texto constitucional estadual,

FAÇO SABER que a ASSEMBLEIA LEGISLATIVA aprovou e eu sanciono a seguinte LEI:

Art. 1º – Fica estabelecido que na execução do conteúdo programático do Ensino Fundamental e Médio nas instituições de ensino da rede pública estadual deverão ser desenvolvidas palestras de cidadania com o enfoque em Noções Básicas de Direito do Cidadão (ã) Brasileiro (a).

Art. 2º – As palestras de cidadania com enfoque em Noções Básicas de Direito do Cidadão (ã) Brasileiro (a) serão ministradas por advogados, com formação específica em Direito do  Cidadão, todos indicados pela Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia (OAB-RO) e Subseções.

Parágrafo Único – Os palestrantes indicados pela OAB Rondônia não receberão remuneração para ministrar tais palestras.

Art. 3º – As Instituições de Ensino da rede pública estadual farão constar em seu calendário anual letivo os dias das referidas palestras e enviarão convites antecipados à OAB-RO e Subseções para as devidas confirmações e agendamentos dos palestrantes.

Parágrafo Único – Para que não haja incompatibilidade de agenda na execução das palestras nas escolas estaduais, os diretores, coordenadores pedagógicos e professores de escolas elaborarão o Calendário de palestras.

Art. 4º – Os dias de realização das palestras sobre Noções Básicas de Direito do Cidadão (ã) Brasileiro (a) nas escolas da rede estadual de ensino, constante no calendário escolar, serão contados como dias letivos.

  Art. 5º – A disciplina de filosofia e sociologia poderá ser flexibilizada, a critério do professor, para a inclusão das palestras de Noções Básicas de Direito.

Art. 6.º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Sala das Sessões, 03 de fevereiro de 2012.

J U S T I F I C A T I V A
Preparar a juventude para os desafios que o mundo moderno lhe reserva, incutindo nela noções de cidadania para a construção de uma vida melhor. Esse é o propósito: uma interação positiva entre OAB-RO e Executivo estadual na realização de palestras sobre cidadania, noções básicas de direito,  voto consciente e combate à corrupção, meio ambiente, direito dos trabalhadores, direitos humanos (direitos das mulheres, exclusão social, racismo, tortura, homofobia), acidente de trabalho, direito da empregada doméstica, estatuto da criança e do adolescente, drogas, aborto, separação, DST, bullyng nas escolas e outros temas relevantes para a sociedade.
A escola é como uma comunidade, com pessoas de todas as raças, credos e profissões. Saber respeitar e conviver bem com todos é uma arte. É dever perseguir o caminho do bem, acrescentando que, levando a sério os estudos, a juventude será capaz de construir uma sociedade melhor.
Noções básicas de direitos devem ser bandeira da Educação dos professores, principalmente para os alunos do Ensino Fundamental e Médio, estimulando a participação da juventude, melhorando muito a qualidade da Educação, formando cidadãos conscientes dos seus direitos e dos direitos dos outros.
Sala das Sessões, 03 de fevereiro de 2012.

HÉLIO VIEIRA DA COSTA
Presidente da OAB/RO

SOBE AS MINHAS LENTES:

Concordo com o projeto, contudo, os artigos 2º e 5º a meu ver poderiam ser modificados, seria melhor que fosse retomada a disciplina de Educação Moral e Cívica (EMC) ou Org. Social e Pol. do Brasil (OSPB), afinal na época do regime militar, (em época da obrigatoriedade de cantar o Hino Nacional na escola, quando Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política Brasileira (OSPB) substituíam Filosofia e Sociologia nas aulas, num país ainda militarizado e governado com muita Rota nas ruas e repressão intelectual) repito, regime militar já existiam essas matérias. Sobre os professores de Filosofia e Sociologia abordarem o tema até concordo, uma vez que Política é uma área particular da filosofia, mas, como disse a principio, acredito que melhor seria destinar uma disciplina especifica, pois dividir o pouco tempo da filosofia e sociologia nas escolas seria um retrocesso no avanço conquistado por essas disciplinas, que até pouco tempo não faziam mais parte do currículo escolar. Por isso, deveria o estado fazer concurso para a área sendo um dos prerequisitos a graduação em Licenciatura em áreas pertinentes como Direito, Filosofia ou Sociologia.

Enfeitar a grade curricular das escolas de nada servirá se não houver quem as ensine, valorize o professor é valoriza o futuro de toda uma nação.

Anúncios

Lá fora tem, aqui tá sem!

Como prometi, essa é uma amostra do quanto ficamos para trás em incentivo a leitura (como se fosse só isso :’-/), nos dias 25 e 26 desse mês decidi pegar a moto e ir às cidades vizinhas (Marco, Cruz e Acaraú) para ver como são as bibliotecas públicas da região (me senti como Che em Diários de Motocicleta ^^), eu sabia que a de Bela Cruz estava pra trás, mas não sabia que andava de macha ré (riso). Quero dizer que as fotos foram feitas com o concetimento dos funcionários de cada biblioteca, que fui bem recebido em todas elas e que ainda que essa publicação possa ser usar com alguma finalidade política, esse não é seu objetivo.

Vou começar pela Biblioteca Pública Municipal Poeta Manuel Nicodemos Araújo que fica na cidade de Acaraú.

O prédio é tombado como patrimônio, já é um reconhecimento digno.

Tem placa sinalizando o lugar, mas era bom mandar podar as árvores né? ^^

O antigo clube da cidade foi TOTALMENTE adaptado com instalações completas.

É a mais confortável e aconchegante que visitei nesse artigo, muito espaçosa também.

Uma atitude que valoriza e instiga a leitura, algo simples mas que tem resultado.

Placa de inauguração, Regimento (que É obedecido), e selo Biblioteca Amiga.

Monumento à Nicodemos Araújo (danificado), maior poeta, escritor e genealogista da região.

Espaço destinado à crianças e à formação de jovens leitores. Isso é cultura.

Confortável espaço para leitura individual ou em grupo. Iluminação natural (eco-economia)

Acervo de obras cearenses e literatura especial (braile). Quadro de artista local.

A Bíblia em Braile é uma das opções de leitura para pessoas com deficiências visuais.

Há pinturas de artistas locais enfeitando o ambiente. Isso é reconhecimento cultural.

Lugar para pesquisa e leitura, mais uma vez com iluminação natural.

Monteiro Lobato deu essa dica há anos e poucos reconhecem essa necessidade.

Livros de Filosofia e Sociologia atuais e renovados para criação de mentes críticas.

Revistas, jornais e periódicos para consultas. Arquivados e organizados.

Estante de Literatura Internacional.

TV e computadores, a biblioteca planeja disponibilizar internet para pesquisa esse ano.

Esse ano esperasse que a biblioteca esteja on-line e com sistema informatizado (eleição né minha gente).

Cada cômodo da biblioteca tem uma arte, algo que gostei muito de ver e apreciar.

Um cantinho isolado, confortável, aquecido e iluminado. Perfeito pra uma boa leitura.

Pode-se dizer que 90% da iluminação e ventilação do lugar é natural, o que é muito bom.

Tão bem iluminada que as florescentes seriam dispensáveis se ela não abrisse a noite.

Recepção. Fiquei até triste de ir embora de um lugar tão aconchegante.

NOTA: A Biblioteca Pública Municipal Poeta Manuel Nicodemos Araújo da cidade de Acaraú, na minha opinião só deixou mesmo a dever na manutenção do lugar e dos moveis, no mais é maravilhosa, estrutura e acomodação, espaço e acervo. A localização também é centralizada. Embora o prédio original tenha sido um clube, as adaptações comportaram as necessidades de uma biblioteca. As estantes e mesas são apropriadas e permitem uma circulação no ambiente sem pertubações nem contornos.

Agora irei mostrar algumas fotos feitas na Biblioteca Pública Municipal Dra. Maria Inês de Farias situada na cidade de Cruz.

Em Cruz também tem sinalização informando sobre a biblioteca. Sinal de valorização.

Dos visitados, esse foi o melhor prédio, construído especificamente para ser uma biblioteca.

A biblioteca é cercada por um belo jardim, que recebe muita atenção das visitas.

Uma passarela muito convidativa leva a visita até a recepção. Note a frente a biblioteca

A biblioteca abriga também o museu da cidade, ponto para criatividade.

Pode parecer besteira, mas isso é uma forma de ver a importância que deram à leitura.

Salão principal, onde fica a recepção e que dá acesso as outras dependências da biblioteca.

A biblioteca incentiva a publicação de livros do escritores oriundos da cidade.

Como em Acaraú, artesanato e pinturas também enfeitam os ambientes da biblioteca

Leitura e arte é uma combinação que dá certo, isso é cultura, isso é dar valor aos cidadãos.

Artesanato infantil, 1 pequeno espaço recreativo. Será construída uma sala própria para isso.

Salão de estudos e pesquisa, acesso a internet e espaço para leitura.

Nesse espaço também são realizados palestras e eventos como o Cinelivro (exibição de filmes)

Salão com suportes estruturais e materiais para conferencias, grupos de leitura, ect.

O Acervo está em um único ponto e com isolamento, o que gera segurança e conforto.

Prateleiras organizadas por temas dispostas de forma a facilitar a busca e circulação no lugar

Embora essas não seja as prateleiras ideais, está com os livros muito bem conservados.

Mascote da biblioteca com livros em braile faz a companhia no salão principal.

De todas as bibliotecas que visitei nesse artigo, essa foi a mais bonita e completa.

NOTA: A biblioteca pública da cidade de Cruz tem uma pagina on-line (blog) com algumas das realizações e eventos documentado lá. Será criada uma sala específica para crianças e outras instalações. O acervo é de aproximadamente 5.000 livros (segundo funcionários), lá também é oferecido nas quartas-feiras um tipo de cinema livre para os visitantes. O ambiente dentro e fora da biblioteca é muito agradável, localizada em um ponto central da cidade e ainda assim com calmaria. Também me foi informado (mais uma vez por funcionários) que a biblioteca está se modernizando para informatizar seu sistema de registro de livros e materiais (audiobooks entre outros).

Bem vamos agora ver como estão as coisas do outro lado, essa são fotos da Biblioteca Pública Municipal Prof. Zely Rios na cidade do Marco.

Uma bela biblioteca, porem num lugar tão esquisito, a mais mal localizada que visitei.

“Recepção” – sem comentários.

Esse foi outro prédio construído com a finalidade de servir como biblioteca.

Auditório, acervo e ala de estudo, leitura e pesquisa.

Essas sim são as estante ideais, fortes e firmes. O acervo aqui também é bem localizado. Mas na ocasião achei meio “chafurdado”.

Esse foi o melhor acervo em braile que encontrei nas bibliotecas desse artigo.

Livros recentes e clássicos disponíveis em braile, pena a cidade não promover essa leitura, diga-se de passagem a cultura local parece a total abstinência de pensamento.

Infelizmente me disseram que “ninguém vai à biblioteca por que é no fim do mundo!”

Tanto espaço e tão pouco uso. Mas note que a cadeiras e mesas são adequadas.

A videoteca daqui é muito boa, vários temas e ciências. Pena que estão todo em VHS (riso).

Um palco desse seria melhor aproveitado em eventos de incentivo a leitura, feiras, exibições.

Revistas de vários gêneros e assuntos que são lidas pela luz e pelo pó.

Vamos para o segundo andar, espero que lá encima o espaç0 seja melhor utilizado.

… ¬¬’ (melhor voltar em um ano).

NOTA: Eu nunca vi um gerenciamento de espaço tão ruim quanto esse, o prédio feito unicamente para ser uma biblioteca, tem muito, mas muito espaço mesmo. O acervo é bom, as acomodações também. Mas, o que mais deixa a desejar na Biblioteca Pública Municipal Prof. Zely Rios é a localização (colocaram ela quase na outra cidades, muito distante do centro, mal iluminada e policiada) e o mau uso do espaço disponível no lugar, junta essas duas coisas e você tem uma biblioteca vazia ou pouco visitada.

Huahahahaaa… Agora chegou é a vez da Biblioteca Pública Municipal Prof. Nicácio da cidade de Bela Cruz (eita que lá vem).

Vista de fora, se comparadas as anteriores é a fachada mais triste das quatro. Eu as vezes acho que parece uma delegacia ou posto de saúde, o “letreiro” mal chama atenção não é?

O prédio, dizem, foi “adaptado” para servir como biblioteca, mas se analisar bem concordarão comigo que é só uma casa com livros. Cadê a recepção? balcão de atendimento? Nada ¬¬’

Sala infantil, de fato de todas as bibliotecas que visitei, essa é a que tem melhor acervo e estrutura infantil. Sempre são realizadas atividades para crianças o que é muito bom.

Aqui é o que podemos chamar de “sala de administração”, aquele é o único computador da biblioteca e seu uso é restrito para funcionários. Alguém sabe o que era esse lugar antes?

Espaço para pesquisa e estudo, o acervo está disperso nas paredes, o que não é recomendado por dificultar a limpeza e manutenção do acervo, ainda mais no inverno. Morfa muito.

Se o acervo fosse bem cuidado, com manutenções regulares, sem dúvida essa biblioteca teria o mais completo e rico, note que essas estantes também não são as ideais para os livros.

Se não fosse o acervo acho que raramente viria aqui, e falo sério. Gosto muito das pessoas que trabalham aqui, sempre fui bem recebido nesse lugar, mas o lugar não está recebendo a devida atenção política.

Comida para traças e outros insetos, cardápio especial: poemas, prosa e poesia. Os escritos das mentes da nação somem devagar, esquecidos numa prateleira. (triste né?)

 

É por esses e outros motivos que eu como tantos outros acabam se afastando da biblioteca, ou evitando frequentá-la em certos horários. Fala sério, achei que aqui era lugar de silencio ¬¬’

Essa estante está quase caindo, dá pra ver a inclinação de longe. Essa estante abriga o acervo infanto-juvenil, já imaginou uma criança indo retirar um livro ou brincando aqui perto e as prateleiras caindo encima dela? Agora você pensou.

Para quem quiser conferir o estado (lamentável) do acervo da Biblioteca Pública Municipal Prof. Nicácio localizada na cidade de Bela Cruz, é só conferir aqui: Era Uma Vez Uma Biblioteca Pública.

Educação, é rir pra não chorar (se puder)

Essa semana vejo e provo do descaso que das menores até as mais altas autoridades levam (corrigindo empurram) a educação nas esferas municipais, estaduais e nacionais.

Pra não chorar (e olha que não faltam motivos) vou postar aqui as charges mais interessantes, criticas e divertidas sobre realidade da educação brasileira.
[Clique na imagem para ampliar]

E ainda queremos ser levado á sério no exterior?

Navegação de Posts